quinta-feira, 28 de junho de 2012

Conceito de depressão



Muitas vezes, sentimos uma tristeza profunda e pensamos estar em depressão. Será que qualquer tristeza pode ser considerada uma depressão? Afinal o que ela significa e será que pode nos ensinar algo?
A depressão é uma alteração do humor na forma de uma tristeza profunda que induz a diminuição da estima por si próprio e muitas vezes a necessidade de autopunição, comprometendo a alegria de viver.
Publicidade
Há uma incapacidade em sentir prazer e instala-se uma indiferença em relação a outras pessoas, com o mundo, perdendo a esperança que algo possa melhorar. É como se não houvesse mais um sentido para a vida.  A depressão ocorre geralmente em situações específicas em conseqüência de perdas materiais ou afetivas. Não podemos negar que a vida é uma sucessão de perdas, mas é a forma pela qual cada um de nós reage é que poderá desenvolver ou não um quadro depressivo. Nem sempre a perda se refere a morte ou separação, mas também por um sentimento de decepção em relação aos outros e muitas vezes, em relação a si mesmo. E decepções não nos faltam nas relações humanas em geral. E em qualquer dos casos há uma significativa baixa da auto-estima.
Nas depressões bipolares, onde se alternam períodos de grande euforia com profunda tristeza pode haver o aspecto genético. Os sintomas das pessoas em depressão são facilmente identificáveis (veja abaixo), mas é importante que o diagnóstico seja feito por um profissional de saúde. Entre os sintomas, o apetite geralmente fica reduzido, alguns precisam se forçar a comer, pois não há vontade em se alimentar; outros podem sentir vontade por alimentos específicos, como doces ou carboidratos. Quando as alterações no apetite são severas pode haver uma diminuição ou aumento de peso significativo.
O sono também é atingido, despertando durante a noite ou muito cedo, com dificuldade para voltar a dormir; a dificuldade para adormecer também pode ocorrer, porém com menor freqüência. Sendo assim, há uma diminuição da energia, com queixas de cansaço, mesmo sem esforço físico, por exemplo, tomar banho e se vestir pela manhã pode se tornar algo exaustivo ou levar o dobro de tempo habitual.

Sintomas psíquicos da depressão:
  • sentimento de tristeza profunda
  • desesperança, impotência
  • sentimentos de desvalia ou culpa
  • dificuldade de concentração ou tomada de decisões
  • perda do interesse ou prazer por atividades antes prazeirosas
  • pensamentos recorrentes sobre morte ou suicídio
  • Sintomas físicos da depressão:
  • dor de cabeça
  • alterações do apetite ou peso e do sono
  • constipação intestinal ou diarréia
  • náuseas
  • sensação de opressão no peito
  • sensação de bolo na garganta
  • dificuldade de respirar, sensação de falta de ar
  • dor no peito
  • dores nas costas
  • perda ou diminuição do desejo sexual
  • Identificar os sintomas físicos também é importante, pois algumas pessoas queixam-se de dores físicas e somatizadas ao invés de sentimentos de tristeza. São pessoas com dificuldade em identificar seus sentimentos e expressá-los. É preciso falar sobre as dores até que se esgotem para que sejam elaboradas. Quando há dificuldade para enfrentar esse processo sozinho é aconselhável o acompanhamento de um profissional que poderá ajudar a superar esse momento difícil.
    O sofrimento pode nos levar ao aprendizado. Para Jung a depressão é uma maneira do nosso eu verdadeiro se confrontar com a energia reprimida expressa pela depressão. É um convite à introspecção, a entrar no silêncio e no vazio. É como se fosse uma necessidade de se retirar da pressão do dia a dia que a pessoa não está conseguindo, a fim de encontrar tempo para o essencial, a contemplação, e encontrar luz na escuridão.
    Isso nos explica a necessidade que a pessoa em depressão sente de ficar no silêncio e escuro. Ao entrar em seu próprio mundo e se confrontar com os sentimentos que até o momento estavam sendo reprimidos e negados, poderá haver uma mudança de comportamento. É como se sua mente e seu corpo estivessem pedindo, implorando, para que perceba que há algo muito maior que o externo, valorizando mais as conquistas e o direito que todos temos de vivermos uma vida com paz e amor.    
    Por:
    Rosemeire Zago

    10 comentários:

    José Roberto Graciato Fonseca disse...

    E exatamente o que eu vivo e convivo no dia dia.sou dependente quimico em reruperacao uma batalha por dia contra o usu de drogas mas perco pra deprecao

    Anônimo disse...

    Bom ,tenho uma amiga de 42anos onde convivo com ela a 4anos. Tento de todas as formas ajudar,ela faz tratamento a mais de 10 anos com psiquiatra,terapia,medicamentos ,enfim sao barreira enfrentadas como se cada dia fosse uma vitoria. As vezes fico numa situacao de cansaço.

    Anônimo disse...

    Estou vivendo desta forma e a vontade de morrer é muito forte

    Anônimo disse...

    me sinto perdida .Não me acho mais nesse mundo. Vivo esperando a morte que vai ser meu alívio.

    Larissa Oliver disse...

    O estranho da depressão é você até saber o que fazer, mas nunca sentir força pra enfrentar a vida. Estou assim: sem rumo, sem sentido. Só quero esperar a hora da minha morte.

    Cesar A. S. Borella disse...

    Parabéns pela iniciativa de ajudar pessoas que sofrem com esse problema.

    Vitor disse...

    Olá... Meu nome e Vitor e tenho depressao profunda, sinto muita vontade em me matar, fico triste o tempo todo, isso ja faz mais ou menos 3 anos eu n consigo contar a ninguem nem aos meus parentes.. E muito muito triste, se vc n tem esse problema agradesa a deus e aproveite o maximo. Boa sorte a todos obrigado

    Anônimo disse...

    Eu tb tive problema muito serios mais , sempre falei pra mi mesmo vou vencer pq a Vida è bela e deus esta comigo ...deve aver vantade de vencer todas as dificuldade,e hoje sou feliz;!!


    Anônimo disse...

    Tem 4 saídas principais:
    1- a pessoa sente a agonia e se consome até passar.
    2- aumenta as distrações ou transforma a agonia em força de trabalho. Ou então evoca imagens da religião, nomes de Deuses ou deusas, provérbios, orações, mantras, etc.. outras distrações podem ser sexo, sair com amigos, beber, ler, ver filmes...
    3- procura tratamento com remédios combinado ou não com as distrações e ocupações acima.
    4- tenta resolver o mal pela raiz, olhando para o seu interior e vendo a vida como realmente é. Para remover os complexos profundamente enraizados a técnica da meditação santificadora requer dias de isolamento e inercia em uma postura consciente. Jesus teria gastado 45 dias e Buda 60. A concentração profunda faz com que a lama se assente purifica-se tudo a exaustão. O que se "esconde atrás " já não existe mais!

    Anônimo disse...

    Cara,
    De onde você veio?
    Oh my gosh!!

    De fato vivemos num mundo de fantasia e ilusões. É preciso ir a fundo. E a meditação é infinitamente mais científica que as distrações. De fato as pessoas que atingem meditação profunda reduzem o metabolismo basal absurdamente.
    Mas será que todos conseguiram chegar a tal ponto?
    Pouquíssimos atingem essa felicidade inabalável e quem atinge demora anos a fio.
    Eu não estou disposto a perder um ano sequer da minha vida para acabar definitivamente com a depressão. Nem se isso me fizesse viver mais 20 anos eu não iria gastar um ano inteiro. Se eu sumisse iria perder festas de aniversário, comemorações de festa junina de natal. Presentes.. domingos na igreja (se não for, Deus que é pura bondade, me mandara direto pro inferno por toda a eternidade.. isso sim é perigoso)
    Prefiro